Como fazer o planejamento para um controle de custo de obras eficiente?

O planejamento de obras é um trabalho em equipe feito por profissionais responsáveis, parcerias e fornecedores.

Antes do início de qualquer obra, é fundamental estudar a sua viabilidade, se há capital financeiro suficiente para todos os gastos operacionais necessários de uma obra. Em segundo lugar, avaliar o lucro e benefício e tempo necessário para o retorno do capital investido.

A maneira mais comum e eficiente de avaliar a viabilidade é por um estudo criterioso de custos, fluxo de caixa no momento da obra e o cenário econômico.

 

Como começar o planejamento?

É importante avaliar todo o projeto, documentos e definições técnicas (memória descritiva), e então fazer um levantamento dos valores dos projetos arquitetônicos, estrutural e das instalações e custos de cada fase da construção, desde a fundação até os acabamentos.

Bem como a mão de obra (própria ou terceirizada), calcule os custos com regularização e licenciamento. Liste os equipamentos e ferramentas que serão necessários.

 

Primeiro passo: um bom estudo e orçamento

É a etapa mais importante. É recomendado que se consulte um especialista para evitar qualquer erro de cálculo na elaboração, evitando prejuízo. O orçamento pode ser feito em planilhas do Excel, por exemplo, ou por softwares mais profissionais.

Tudo deve ser considerado, em especial, a qualidade dos materiais, que varia de acordo com o projeto. Os prazos são importantes, pois eles determinam o custo da mão de obra e quantidade de funcionário em cada função.

 

Cronograma e prazos são essenciais

É o calendário da obra. Nele, serão estabelecidos os prazos e recursos de cada fase da construção. Para que seja eficiente, o cronograma precisa indicar o caminho de cada etapa, da ordem de início até a sua conclusão, sempre considerando que há etapas que precisam de mais atenção e cuidado – o que demanda mais tempo e mão de obra especializada, e outras que podem ser feitas simultaneamente.

O mais comum é o cronograma físico-financeiro, uma vez que associa execução e custo, ajuda a prever os gastos. Outro recurso que auxilia muito no andamento é o diário de obras ou registro diário de obra (RDO), um documento utilizado por construtores que para registrar tudo o que acontece diariamente na construção, uma espécie de memória, que influencia no cronograma.

Inevitavelmente acontecerão imprevistos e o cronograma terá de ser ajustado, o que afeta os prazos de cada etapa e a entrega final. Já as revisões, dependem de um bom planejamento.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

É importante estar atento ao sistema burocrático

A regularização do empreendimento é outro fator que pode afetar os prazos e gerar custos extras. É essencial estar dentro da lei. Quanto antes for resolvido, melhor.

Esse processo envolve o projeto arquitetônico feito e assinado por um profissional, exigências no canteiro de obras, placa do responsável técnico, almoxarifado, tapumes e outros. Em relação à documentação: alvará de construção, a matrícula do imóvel, registro do imóvel, certidões e anotações.

Na fase final, deve-se prestar atenção nos documentos necessários para o licenciamento e entrega, alvarás e o agendamento de vistoria final.

Está pensando em construir? Entre em contato com a empresa líder em planejamento de obras em Minas Gerais.


Categorias: Blog

Recentes da categoria:

Recomendados para você:

Mais de 1 mil gestores de obras recebem nossos conteúdos todos os meses!

Menu
×